janeiro 2011


Prezados garimpeiros,

Estou devendo há muito tempo alguns nomes de lojas no cenário carioca. Como estou aqui pelas terras de Cartola, utilizarei das minhas próximas postagens para reunir alguns achados pelo Rio.

Também inauguro nesse post uma singela mudança no formato das matérias que trazemos pra vocês: Para poder dar uma atenção maior a cada loja, reduziremos o número de lojas avaliadas por post no blog, cada um agora com no máximo 3 estabelecimentos.

Começaremos hoje com duas lojas bem conhecidas na zona sul do Rio de Janeiro: a Satisfaction Discos e a Baratos da Ribeiro.


Foto: Baratos da Ribeiro

Baratos da Ribeiro – Rua Barata Ribeiro, 354 – Loja D – Copacabana

Velha conhecida dos cariocas, trata-se talvez do sebo mais conhecido do Rio de Janeiro. Funciona como um sebo tradicional, com as prateleiras de livros dividindo espaço com os LPs. O acervo de discos é de tamanho médio, mas alguns pontos chamam atenção. Primeiramente, observa-se de imediato o cuidado que o estabelecimento tem com os discos de vinil. Todos eles estão em ótimo estado, protegidos por plástico grosso e expostos de maneira prática para o cliente garimpar. Os discos recebem(no plástico, não na capa) etiquetas com o valor do disco e outras informações como o gênero e a banda. Além disso, a loja conta com boa organização por gênero.

Apesar disso, a loja também tem uma característica bem evidente que não é tão positiva como a que descrevi anteriormente. Os preços são bem salgados. Tudo bem que o acervo é selecionado, tudo bem que o estado dos discos é impecável, tudo bem que a loja é climatizada; Ainda assim, os preços decepcionam. Trata-se do profissionalismo chegando aos sebos. Você pode efetuar a compra no cartão de crédito, a loja conta com website e ainda tem algumas iniciativas interessantes como o Clube do Vinil e o Clube da Leitura, podendo-se conferir mais a respeito no site.

Trata-se de um local interessante pra procurar bons discos em ótimo estado, mas esteja disposto a pagar bem por isso.

Satisfaction Discos – Rua Francisco Sá, 95 – Loja K – Copacabana

Ao chegar no fundo de uma estreita galeria nas ruas do final de Copacabana, logo verás que a loja há muito tempo abandonou a sua exclusividade pelos bolachões. O acervo de LPs é bem pequeno, mas não por isso desinteressante, sendo o rock internacional o gênero predominante. Basta passar pelos discos que certamente encontrará exemplares que chamarão sua atenção.

A loja trabalha com o sistema de consignação, em que você “deixa” o seu disco para ser vendido e, após a venda, recebe uma porcentagem do valor. Isso pode ser bem interessante pra quem tem alguns bons discos que deseja vender, mas não quer negociar diretamente com o comprador. Os preços são, em geral, justos. Como o dono é conhecedor do assunto, sabe ditar o valor de sua mercadoria. Além de discos de vinil, a loja oferece também um bom acervo de CDs e DVDs, também com predominância do rock internacional. Fique atento às paredes do local, pois há a exposição dos destaques entre os discos. Em minha última visita, por exemplo, havia um belo exemplar do Larks’ Tongues in Aspic, do King Crimson. Sinta-se à vontade também para conversar com o dono da loja, sempre simpático e bem humorado.

Um lugar interessante para se visitar, conversar e ouvir música boa. Uma pena não ter um acervo mais amplo.

Há alguns meses atrás, eu estava à procura do famoso Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles(o único que me faltava da banda britânica). Conversando com um amigo, ele citou um bom sebo que havia em Ipiranga. Mas apenas citou, nós havíamos acabado de sair de um show e ele não me deu nome, tampouco o endereço do lugar. Mas como vocês, bons colecionadores e viciados no bolachão, sabem, às vezes fazemos loucuras quando queremos encontrar as nossas preciosidades e foi o que fiz. Dei uma breve procurada pela internet e fui na cara e coragem achar o tal sebo de Ipiranga.

E achei. Com aquela dificuldade costumeira, mas que faz valer mais o achado. E valeu.

Museu do Vinil

O lugar é pequeno, mas as caixas de vinil são cuidadosamente arrumadas com os estilos bem organizados e divididos nos mais variados gêneros: Rock 50/60, Rock Progressivo, Metal, MPB, Trilhas Sonoras e etc, tendo ainda aquela caixinha de importados próxima ao balcão(que por acaso estavam com 50% de desconto na semana passada). Importante citar que os compactos também têm a sua determinada organização, vários deles contando com capa. Alguns destaques são colocados nas paredes como classicamente vemos nos sebos por ai.

Os preços também contam como grande diferencial do Museu do Vinil. Ficam com toda a certeza abaixo da média do mercado paulistano. Ótima noticia em um mercado tão inflacionado quanto o da capital paulista.

Quadrophenia do The Who, All Things Must Pass do George Harrison e Good Vibrations(importado) dos Beach Boys são apenas uma amostra da variedade de LPs que encontrei por lá.

E a qualidade? Todos os vinis que pude ver tinham boas condições de capa e disco, que é algo essencial, não é mesmo?

O atendimento é bom e gostei muito do fato do dono(chamado Alexandre) se apresentar, perguntar meu nome e ainda apresentar o sócio. Pode parecer besteira, mas todos sabemos o tipinho de pessoa que muitas vezes temos de aguentar em se tratando de vendedores no ramo. Dessa forma, o respeito ao cliente apresentado por estes senhores me deixou muito contente.

Vale lembrar que eles são expositores na Feira do Vinil de Santo André, importante evento que será divulgado em breve por aqui.

Concluindo: Valeu totalmente a pena minha caminhada para encontrá-lo. Acabei por descobrir um lugar ímpar em São Paulo e acabei saindo com mais do que um “simples” Sgt Pepper’s. Levei mais 3 discos e com desconto.

Museu do Vinil
R. Cisplatina, 502
Ipiranga – São Paulo
Em frente à biblioteca pública do Ipiranga
(0XX11) 2915-6387

Olá, caros!

Trago boas e novas: Perdemos um membro, mas ganhamos outro! E assim, com novas pessoas, estamos mais entusiasmados que nunca para retomar o blog que felizmente já foi de grande utilidade para muitos garimpeiros de LPs. E vamos logo ao que interessa: O novo membro já traz um post a respeito do Museu do Vinil, loja referência em São Paulo.

Um bom 2011 para todos, recheado de bolachões!

Eduardo