Há alguns meses atrás, eu estava à procura do famoso Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles(o único que me faltava da banda britânica). Conversando com um amigo, ele citou um bom sebo que havia em Ipiranga. Mas apenas citou, nós havíamos acabado de sair de um show e ele não me deu nome, tampouco o endereço do lugar. Mas como vocês, bons colecionadores e viciados no bolachão, sabem, às vezes fazemos loucuras quando queremos encontrar as nossas preciosidades e foi o que fiz. Dei uma breve procurada pela internet e fui na cara e coragem achar o tal sebo de Ipiranga.

E achei. Com aquela dificuldade costumeira, mas que faz valer mais o achado. E valeu.

Museu do Vinil

O lugar é pequeno, mas as caixas de vinil são cuidadosamente arrumadas com os estilos bem organizados e divididos nos mais variados gêneros: Rock 50/60, Rock Progressivo, Metal, MPB, Trilhas Sonoras e etc, tendo ainda aquela caixinha de importados próxima ao balcão(que por acaso estavam com 50% de desconto na semana passada). Importante citar que os compactos também têm a sua determinada organização, vários deles contando com capa. Alguns destaques são colocados nas paredes como classicamente vemos nos sebos por ai.

Os preços também contam como grande diferencial do Museu do Vinil. Ficam com toda a certeza abaixo da média do mercado paulistano. Ótima noticia em um mercado tão inflacionado quanto o da capital paulista.

Quadrophenia do The Who, All Things Must Pass do George Harrison e Good Vibrations(importado) dos Beach Boys são apenas uma amostra da variedade de LPs que encontrei por lá.

E a qualidade? Todos os vinis que pude ver tinham boas condições de capa e disco, que é algo essencial, não é mesmo?

O atendimento é bom e gostei muito do fato do dono(chamado Alexandre) se apresentar, perguntar meu nome e ainda apresentar o sócio. Pode parecer besteira, mas todos sabemos o tipinho de pessoa que muitas vezes temos de aguentar em se tratando de vendedores no ramo. Dessa forma, o respeito ao cliente apresentado por estes senhores me deixou muito contente.

Vale lembrar que eles são expositores na Feira do Vinil de Santo André, importante evento que será divulgado em breve por aqui.

Concluindo: Valeu totalmente a pena minha caminhada para encontrá-lo. Acabei por descobrir um lugar ímpar em São Paulo e acabei saindo com mais do que um “simples” Sgt Pepper’s. Levei mais 3 discos e com desconto.

Museu do Vinil
R. Cisplatina, 502
Ipiranga – São Paulo
Em frente à biblioteca pública do Ipiranga
(0XX11) 2915-6387

Anúncios